quarta-feira, 18 de maio de 2011

Alteração de preço nos vídeos promovidos: foco no valor das visualizações

Os vídeos promovidos têm sido um modo eficiente e popular de direcionar tráfego para vídeos do YouTube. Esse formato permite que as empresas promovam vídeos no YouTube enquanto as pessoas pesquisam ou assistem a vídeos. Até agora, os vídeos promovidos foram avaliados de acordo com um sistema de custo por clique (CPC). Como nos anúncios de pesquisa do Google AdWords, você recebia cobranças a cada vez que um usuário clicasse em um anúncio de vídeo promovido.

A partir de 25 de maio, alteraremos a estrutura de preços desse formato para um modelo de custo por visualização (CPV), mudando o foco para a exibição real do vídeo. Essa alteração significa que a cobrança ocorrerá somente quando os usuários clicarem em um anúncio de vídeo promovido e começarem a assistir ao conteúdo de vídeo, o que será registrado como uma visualização. Esse modelo de cobrança garante que seus custos estejam mais próximos de seu objetivo de publicidade de estimular a exibição real dos vídeos, o que é uma excelente notícia para os anunciantes.

Como funcionam os lances

Quando você criar sua promoção, ainda solicitaremos uma quantia máxima de lance. Mas, em vez de definir um CPC máximo, você definirá um CPV máximo ou o que desejar pagar por uma visualização de vídeo. Os vídeos promovidos usam o Assistente de descontos do AdWords para reduzir automaticamente seus custos. Como sempre, cobraremos somente um centavo a mais do que o próximo anunciante na página que concorre pelas mesmas palavras-chave/canais ou por palavras-chave/canais semelhantes, garantindo a eficiência no leilão.

O que você verá

Como antes, as campanhas de vídeos promovidos podem ser configuradas e gerenciadas no Google AdWords ou através do ads.youtube.com. A partir de 25 de maio, os termos de faturamento de todas as campanhas de vídeos promovidos serão oficialmente convertidos de CPC para CPV, sendo refletidos na interface dos dois sistemas. Se você usa o Google AdWords para configurar suas campanhas de vídeos promovidos, talvez você continue vendo referências ao CPC em suas campanhas, enquanto não terminamos o ajuste à terminologia do sistema.

Visite a Central de Ajuda para obter detalhes e ver as Perguntas frequentes. Esperamos que essa alteração no modelo de preços aproxime os vídeos promovidos de seus objetivos, gerando os resultados certos para sua empresa.

Thays Bueno, Especialista em Comunicação e Políticas Públicas do Google, assistiu a Extras - Clipe: 60 Dias Apaixonado.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Lembrança em vídeo dos jornalistas que se foram

Vivemos em um mundo que parece menor a cada dia que passa. Estamos tão acostumados com a cobertura quase onipresente das notícias e dos eventos em escala mundial que é fácil nos esquecermos do preço que às vezes se paga para ter reportagens de qualidade nas histórias importantes. Principalmente em áreas de conflito ou quando há censura dos governos contra a imprensa. Pensando nisso, o Newseum (página em inglês), o Google e o YouTube uniram-se para lançar hoje o canal Journalists Memorial no YouTube, uma homenagem aos jornalistas que morreram no exercício do trabalho no último ano.

As histórias são incríveis: avançar em um conflito de rua sem nenhuma arma além da sua câmera, falar sobre política no rádio e ser espancado até a morte (link em inglês) com barras de ferro por criminosos. É impressionante a enormidade de riscos e sacrifícios enfrentados por tantas pessoas para nos fornecer informações apuradas. No canal Journalists Memorial, você pode assistir a uma série de vídeos sobre a vida e o trabalho desses jornalistas.

Este canal vai se transformar numa versão digital do Journalists Memorial do Newseum (link em inglês), que renova a cada ano a dedicatória em homenagem aos jornalistas de todo o mundo que morreram no ano anterior. Neste ano, 77 nomes foram adicionados à lista dos mais de dois mil jornalistas reconhecidos por seus sacrifícios desde 1837. Na cerimônia de renovação da dedicatória (link em inglês) deste ano, Krishna Bharat, o fundador e chefe do Google Notícias, fará o discurso de abertura, que será colocado pelo Newseum no canal do YouTube ainda hoje.

Como tributo aos homenageados na cerimônia, gostaríamos da sua ajuda para encontrar vídeos que perfilam ou representam a obra dos jornalistas que arriscaram ou perderam suas vidas no exercício do seu importante trabalho. Convidamos vocês a acessar o canal do Journalists Memorial e enviar, por meio do Google Moderator no canal, os vídeos que em sua opinião merecem ser vistos. O Newseum apresentará vídeos adicionais na página.

Postado por: Steve Grove, Notícia e Política do YouTube

terça-feira, 10 de maio de 2011

Bem-vindo ao futuro do vídeo. Não tenha pressa para ir embora.

É sábado e você quer assistir ao programa da sua estrela preferida do YouTube, a um grande sucesso de Hollywood (vídeo não disponibilizado no Brasil), a um vídeo da viagem do seu amigo para o litoral, a um vídeo musical recém-lançado, a um show ao vivo e a notícias urgentes do Japão. Para fazer tudo isso há seis anos, quando o YouTube apareceu, era preciso alternar entre a TV e o laptop, a mesa e o sofá, ou seja, entre uma plataforma e outra. Havia dois tipos de vídeo: aqueles a serem assistidos por meio da sua TV e aqueles para o seu laptop Hoje, só existe um tipo de vídeo, disponível em todos os dispositivos: no celular, no tablet, na tela do laptop ou na televisão – no escritório, no sofá ou no táxi.

O YouTube não abrange apenas um tipo de dispositivo ou um tipo de vídeo. O conteúdo de parceiros de mídia tradicional, o conteúdo criado para a web e vídeos pessoais coexistem no site. Gosta de surfe? Você pode assistir a profissionais pegando tubos incríveis, alugar o seu filme de surfe preferido e conferir o vídeo que o seu amigo enviou da sessão da manhã no seu point favorito. Viciado em notícias? O YouTube tem notícias urgentes enviadas por cidadãos jornalistas, matérias com apresentadores e transmissões ao vivo de parceiros de notícias.

Você encontra cada vez mais o conteúdo que adora no YouTube, agora disponível em 350 milhões de dispositivos. Sabemos disso porque os vídeos no site têm dois bilhões de exibições por dia Mas você passa apenas quinze minutos por dia no YouTube, enquanto gasta cinco horas diárias na frente da TV. Como as fronteiras entre on-line e off-line continuam a se mesclar, achamos que isso vai mudar.

Adicionamos quase seis mil novos títulos de filmes para locação disponíveis para os usuários nos Estados Unidos (mais sobre isso em uma postagem futura) e acompanhados por críticas e extras de bastidores. Seja com trailers, com paródias engraçadas ou com filmes de sucesso inteiros, nós incentivamos você a relaxar e a se acostumar com a experiência de filmes no YouTube.

Além de aumentar a nossa oferta de filmes, também incrementamos o nosso investimento no conteúdo que já é visto por centenas de milhões de pessoas no YouTube. Nossos mais de vinte mil parceiros, como Machinima, Annoying Orange e Ryan Higa, produzem conteúdo original para a web e são assistidos por audiências tão grandes quanto as da TV. Por meio do YouTube Next (link em inglês), incentivamos a criação desse tipo de conteúdo com iniciativas como o YouTube Creator Institute (link em inglês) e o YouTube NextUp (link em inglês), no rastro de sucessos passados como o Partner Grants (que revelou o Key of Awesome, criadores de um dos vídeos mais vistos de 2010) e créditos de mil dólares na B&H Photo (links em inglês). No próximo ano, vamos trazer ainda mais conteúdo para o YouTube. Ao ampliar o sucesso do Partner Grants e do YouTube NextUp, ajudaremos a catalisar a criação de conteúdo, com a devoção ainda maior de recursos aos novos criadores da TV e da indústria de filmes, e aos parceiros atuais do YouTube que já conquistaram públicos fiéis no site. Confira mais detalhes sobre isso nos próximos meses.

Enquanto há seis anos você tinha que trocar de dispositivos, de lugar e de plataforma para obter todos os vídeos que queria, hoje você pode encontrar tudo no YouTube. Ao ampliar as nossas parcerias de conteúdo no mundo inteiro e ao estimular o sucesso de cineastas, artistas e empreendedores iniciantes, garantiremos que o YouTube continue a ser o melhor lugar para que todos vejam e descubram novos talentos. Então fique ligado, pois ainda há muito mais por vir.

Salar Kamangar, responsável pelo YouTube, assistiu recentemente a “Salman Khan: Let’s use video to reinvent education”. (link em inglês)