sexta-feira, 9 de março de 2012

Sobre execução de música em vídeos do YouTube


Os videos online desenvolveram um novo universo de oportunidades para criadores de conteúdo. Eles possibilitam que artistas, músicos, cineastas, ativistas de direitos humanos, líderes mundiais e pessoas comuns levem seu trabalho para uma audiência global. No YouTube, nos esforçamos para apoiar esse ambiente, onde qualquer um pode se engajar, criar e dividir conteúdo. É por isso que vemos com surpresa e apreensão o recente movimento do ECAD na cobrança direta a usuários da ferramenta de inserção ("embed") do Youtube. Gostaríamos de esclarecer qualquer incerteza sobre algumas questões que aconteceram em alguns sites e blogs que inserem vínculos (embedam) a vídeos do YouTube, promovendo visualizações e ajudando a dividir seus pensamentos e opiniões por meio de vídeos:

1- Google e ECAD têm um acordo assinado, mas ele não permite nem endossa o ECAD a cobrar de terceiros por vídeos inseridos do YouTube. Em nossas negociações com o ECAD, tomamos um enorme cuidado para assegurar que nossos usuários poderiam inserir vídeos em seus sites sem interferência ou intimidação por parte do ECAD. Embora reconheçamos que o ECAD possui um papel importante na eventual cobrança de direitos de entidades comerciais, nosso acordo não permite que o ECAD busque coletar pagamentos de usuários do YouTube.

2- O ECAD não pode cobrar por vídeos do YouTube inseridos em sites de terceiros. Na prática, esses sites não hospedam nem transmitem qualquer conteúdo quando associam um vídeo do YouTube em seu site e, por isso, o ato de inserir vídeos oriundos do YouTube não pode ser tratado como “retransmissão”. Como esses sites não estão executando nenhuma música, o ECAD não pode, dentro da lei, coletar qualquer pagamento sobre eles.

3- O ECAD pode legitimamente coletar pagamentos de entidades que promovem execuções musicais públicas na Internet. Porém, o entendimento do ECAD sobre o conceito de “execução pública na Internet” levanta sérias preocupações. Tratar qualquer disponibilidade ou referência a conteúdos online como uma execução pública é uma interpretação equivocada da Lei Brasileira de Direitos Autorais. Mais alarmante é que essa interpretação pode inibir a criatividade e limitar a inovação, além de ameaçar o valioso princípio da liberdade de expressão na internet.

Nós esperamos que o ECAD pare com essa conduta e retire suas reclamações contra os usuários que inserem vídeos do YouTube em seus sites ou blogs. Desse modo, poderemos continuar a alimentar o ecossistema com essas centenas de produtores de conteúdo online. No YouTube, nós nos comprometemos a levá-los cada vez mais próximos a seu público graças à inovação tecnológica e a características sociais como compartilhamento, discussão e até inserção em outros sites, caso o próprio vídeo permita.

Continuaremos a oferecer a cada autor de conteúdo a opção de decidir se eles querem que seus vídeos tenham a opção de serem inseridos (embedados) ou também disponíveis para dispositivos portáteis ou telas maiores, usando o botão “editar informações” em cada um de seus vídeos. Essas opções também podem ser acessadas pelo http://www.youtube.com/my_videos.

Postado por: Marcel Leonardi, diretor de políticas públicas e relações Governamentais do Google Brasil

66 comentários:

  1. Valeu Marcel! Obrigado por tomar esta atitude, são por estas e outras razões que o pessoal ama o Google. Eu já estava preocupado com esse problema, pois tenho um blog e pensei que nunca mais poderia usar vídeos do Youtube.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. O Google e o Youtube mostrando que além de bons produtos, têm muito bom senso.

    Donos de blog, como eu, só têm a agradecer o apoio.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns ao Google Brasil por dar chega pra lá nessa corja chamada Ecad. O Ecad não só ameaça a liberdade de expressão na internet e vida cotidiana, como mostra um lado arrecadatista super exagerado e de má fé.

    "@mvbill @UFC :Assim é o @Ecad_oficial - Arrecada mas nunca repassa / Tenta cobrar até dos compositores por executarem suas próprias obras.."

    "@mvbill acabei d saber q o @UFC pagou ao ECAD por EDSON JR ter entrado no actagono c meu som. o ECAD n me avisou nada,descobri pelos meus corres."

    ResponderExcluir
  4. Pois é, eu já estava pensando em tirar meu blog sobre música do ar, já que uso o embedding de vídeos do YouTube com frequência.
    É bem simples: se não quer compartilhar o vídeo, é só desabilitar o embed. Espero que o pessoal do ECAD tenha um pouco mais de bom senso.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente não publico mais nenhum vídeo nos meus blogs, até que esse momento de incertezas e abusos por parte do ECAD acabe. Essa atitude pode vir a paralisar boa parte da internet, pelo menos os blogs e sites que falam de música. Valeu pelo artigo, Marcel. Pode contar com o meu apoio.

    ResponderExcluir
  6. A cobrança só se explicava mesmo por ganância ou "malandragem" desse pessoal que adora se apropriar do que não criou.

    ResponderExcluir
  7. Mais uma atitude lamentável e retrógrada do ECAD. A crescente difusão de vídeos na internet termina por ajudar a divulgar o trabalho de muitos artitas. Há uma enorme quantidade deles que se lançaram através de onde? Onde? Do Youtube! O ECAD devia é agradecer pelo enorme canal de divulgação gratuíto e parar com mesquinharia.

    ResponderExcluir
  8. O ECAD comprova que o nosso moedor de carne burocrático rivaliza com o russo.

    ResponderExcluir
  9. O lha o Ecad querendo ganhar grana fácil aí de novo. !

    ResponderExcluir
  10. clap clap clap.
    Texto perfeito, Marcel.

    ResponderExcluir
  11. ecad = cartel !! quero estar vivo para assistir a queda dessa facçao de criminosos chamada ecad.

    ResponderExcluir
  12. o ECAD eh uma vergonha para o Brasil.
    e um retrocesso para os desenvolvedores/criadores de conteudo.

    ResponderExcluir
  13. Muito bom! Parabéns ao Google pela resposta! São atitudes como essa, do ECAD, que tentam implementar uma ditadura digital.

    ResponderExcluir
  14. Ecad tá gagá! Bando de lunáticos, os caras cobram até por músicas CREATIVE COMMONS e músicas próprias de artistas NÃO REGISTRADOS lá... Abusrdo, esse país tá um lixo!

    ResponderExcluir
  15. Prezado Marcel,
    A sua colocação de que esse tipo de atitude inibe a criatividade foi perfeito. Eu trabalho com inovação usando músicas e vídeos do youtube, buscando ativar a zona criativa do brasileiro, que apesar de se adaptarem às mudanças antigamente, tenho visto uma mudança grande nesse quadro para o futuro. São atitudes intimidadoras como essa de quem tem o poder (e acha que pode) que acabam com a criatividade e inovação brasileira. O problema é que o mundo mudou e as leis não se adaptaram às mudanças. De qualquer forma, se formos olhar a lei de direito autoral não tem cabimento o que o ECAD tem feito. Na verdade, vocês deveriam entrar com um processo por danos morais contra o ECAD, pois, certamente, vocês estão sofrendo danos como empresa e forma de atuação.
    Um abraço,
    Fernanda

    ResponderExcluir
  16. Lunáticos nada, pessoal do ECAD é esperto isso sim.

    Como os usuários não sabem da existencia do contrato do ECAD com o Google eles tomam essa atitude para recolher mais dinheiro.

    São safados e corrúptos, como quase tudo no Brasil.

    ResponderExcluir
  17. Tem gente que não entende que com a internet as legais são bem mais maleaveis. Se n quer disponibilizar para embed, tira a opção que a pessoa só vai assistir no YT, se quiser faturar coloca anúncio. Errado ta a pessoa que disponibiliza no YT algo que é de direito de outrem...

    Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  18. e dá próxima vez vá cobrar direitos autorais a sua vó!

    ResponderExcluir
  19. Além de corruptos são burros: acharam que o google ia deixar barato, ou então, pedir uma graninha dessa maracutaia...
    Isso não pode ficar assim! Algum órgão ou alguma entidade tem que passar um pente fino no ECAD. Essa foi uma das maiores idiotices que já vi.

    ResponderExcluir
  20. Certa vez vi uma entrevista com Gilberto Gil, que posteriormente viria a ser ministro da cultura sobre o Ecad, na qual ele se mostrava indignado sobre o mesmo. Na entrevista ele se mostrou insatisfeito como artista e disse que o órgão recebia o dinheiro, mandava para brasília e no fim o artista recebia muito pouco. Será que ele, enquanto ministro da cultura conseguiu descobrir como isso funciona?

    ResponderExcluir
  21. E a ministra continua caladinha da silva...

    FALAÍ ANA DE HOLLANDA !!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  22. http://www.youtube.com/watch?v=yOej_LLon2o

    ResponderExcluir
  23. Marcel Leonardi, e Equipe do youtube, PARABENS EESTOU APLAUDINDO DE PÉ COM MUITA VIBRAÇÃO POR ESSA RESPOSTA AO ECAD. Se agente for pela politica deles, a cultura musical no Brasil vai a falencia, e os grande cantores e os novos cantores Tambem, já nao temos a mesma força das gravadoras , já nao temos espaços para novas bandas na tv e no radio e esse ecad querendo limitar nossa liberdade de expressao na internet? ai não né? ou será que nós brasileiros somos trouxas? o ECAD deveria comprovar publicamente no site deles todos os meses o quanto arrecadou mensao de quais veiculos e qpra quais autores foram repassados. Cade que eles perstam contas???
    desabafo

    ResponderExcluir
  24. Agora o Ecad encontrou um adversário de peso. Bater em gente pequena (usuário) é fácil. Quem não tem condições de pagar um advogado e tal, agora quero ver peitar o Google! Parabéns ao Google!!!

    ResponderExcluir
  25. Bia Marques, você está corretíssima!A reação tem que partir da ministra da cultura! Isso foi uma afronta contra a cultura nacional e mundial.

    ResponderExcluir
  26. FANTÁSTICO, galera!!!
    Muitíssimo obrigado pelo esclarecimento!
    Olha só o retorno que vocês já tiveram nos trending topics Brasil!
    Nós, blogueiros, agradecemos!!!

    ResponderExcluir
  27. Parabéns ao srMarcel Leonardi,por essa resposta!tenho 2 blogs sobre os Beatles,NÃO GANHO 1 CENTAVO PELOS BLOGS!quem ganha são os fãs dos Beatles e a própria banda.
    Não quero e não preciso dinheiro deles!
    Eu era vizinho de um famoso compositor chamado JAIR AMORIM,e a sua viúva uma vez apareceu em minha casa para tomar café e disse isso que ficou na minha cabeça:
    "meu marido ficou anos sem receber nenhum centavo pela músicas escritas para o Altemar Dutra,ele passava no Ecad e dizia não tinha nada para ele!"
    Nos EUA,o brasileiro Morris Albert ficou RICO por causa dos direitos autorais da música Feeling,perguntem a ele se ele quer gravar algo no Brasil?

    felicidades para todos

    ex produtor musical e empresário

    ResponderExcluir
  28. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  29. Parabens ao Google, na minha visão a logo de voces cresceu!

    ResponderExcluir
  30. Ecad, Ordem dos Músicos e tantos outros sindicatos, aos quais se é OBRIGADO a filiar, deveriam ser sumariamente liquidados. Bando de sanguessugas inúteis!

    ResponderExcluir
  31. Quem diria em!
    Logo o BRASIL que sempre lutou pela liberdade de direitos de expresão; e de livre diretito de comunicação, seja ele via tv ou net.
    O valioso princípio da liberdade de expressão na internet.È um direito de quem quer informar.
    Ao O Google e o Youtube Obrigado por tomar esta atitude.

    ResponderExcluir
  32. O ECAD é uma das maiores vergonhas ditadoriais que existem no Brasil. Está sendo processado e sendo sempre motivo de investigações policiais. É um orgão extremamente arrogante, se acham os reis da cocada preta e tem dezenas de advogados para conseguirem se manter.
    Sobre o principal motivo de sua existência, eu questiono.
    É impossível eles repassarem os valores de obras a todos os autores, de tudo que é veiculado no país e no mundo. Como eles vão repassar uma quantia a uma banda que acabou de postar um clipe lá nas Filipinas ???
    Só pra fazer um paralelo, eles são tão ousados que se um barzinho pé-de-chinelo ou um armarinho do interior estiver com um aparelho de tv ou de rádio ligado e, aparecer um fiscal engravatado do Ecad, ele irá cobrar ou obrigar o proprietário a desligar o aparelho. Mesmo sabendo que a emissora veiculadora já tenha pago os devidos direitos autorais na transmissão, ou seja, o Ecad na fonte. Sei disso porque trabalho com sonorização ambiental e todos os meus clientes reclamam da marra que eles tratam os lojistas, como se eles fossem donos do mundo.
    Isso tem que acabar, Tim Maia morreu dizendo que se não fizesse show morreria de fome, pois do Ecad não vinha praticamente nada. Outra coisa, a Lei dos Direitos Autorais que o Ecad aproveita pra encher os seus cofres, é nacional, é brasileira. Portanto não pode ser cobrado na internet, nem no youtube nem nos sites e blogs, pois o WWW (World Wide Web) é internacional. A Google nem precisaria fazer esse acordo com o Ecad, e sim diretamente com as gravadoras. Vamos tomar jeito, a Google teria que cair realmente em cima desse escritório e exigir a mostra de todos os valores arrecadados e se realmente estão sendo repassados aos devidos artistas, um por um. Só uma empresa com o poder da Google pode passar por cima dessa vergonha nacional.
    Sou de pleno acordo do repasse dos direitos autorais com certeza, mas a quem realmente tem por direito receber.
    Parabéns a Google por este manifesto em apoio aos sites e blogs, assumindo a responsabilidade pra si dos devidos direitos autorais das imagens dos artistas veiculados no Youtube, hoje, a maior ferramenta de divulgação de arte mundial.
    Nós não baixamos os clips do youtube e postamos novamente em nossos sites, nós somente copiamos os links, que é autorizado pelo artista quando posta o seu vídeo no you tube.
    Portanto, a coisa é direta, o papo tem que ser reto, não precisa de intermediário. Como já foi dito, quando o artista opta por não liberar sua imagem, ele faz isso na configuração do próprio You Tube.
    Ecad, se manca, aqui não tem idiotas, aqui vocês perderam !!!!

    ResponderExcluir
  33. Se não fosse por esta atualização no assunto, a essa hora eu estaria atualizando a metade do meu blog em que eu postava sobre vídeos do Youtube...

    Obrigado equipe do Google / Youtube!!

    ResponderExcluir
  34. Na boa, o Governo Brasileiro precisa parar de tudo colocar imposto e não repassar para a população em forma de obras, segurança publica e etc. A Google Brasil mostra com essa posição que é uma empresa séria e tem bom senso com os seus produtos. Parabéns Marcel pelo texto que esclarece todas as minhas dúvidas.

    ResponderExcluir
  35. Obrigado Google!

    E depois alguns políticos brasileiros ficaram todo 'ofendidinhos' de ouvir que o Brasil precisava tomar um chute na bunda (embora 'kick the ass' não tenha exatamente esta interpretação).

    O mais gozado é que os mesmos que estavam nas ruas nos anos 60/70 pedindo direitos de livre expressão... são os mesmo que idealizam a censura hoje.

    Parabéns Google! Você deu um chute na bunda desses incompetentes que temos vergonha de considerar 'representantes de nosso país'!

    ResponderExcluir
  36. TOMA ECAD,QUEM MANDOU FICAR ENCHENDO O BOLSO PRA FERRAR COM AGENTE? OBRIGADO PELA INICIATIVA GOOGLE!

    ResponderExcluir
  37. Esse ECAD tomou uma medida totalmente arbitrária ao descumprir o compromisso firmado com o Google. Ridículo. Não sabem mais de onde tirar dinheiro e inventam qualquer desculpa.

    ResponderExcluir
  38. Primeiramente já existe uma lei no brasil por direitos autorais, e acho que esta é a unica lei fundamentada na veracidade. Pois cada autor é dono do que se publica. e quando se há questionamento a respeito dos direitos autorais, cabe ao google verificar o fato e excluir o tal conteudo se acaso for comprovado o abuso,ou uso indevido. mais quanto ao ECAD, é algo realmente infundado, Pois quando se trata de direito de imagem, esta pertence exclusivamente a seu autor individual, e ao ECAD legalmente nada pertence, desde que o usuario reclame tal dieito. mas se a maioria dos videos vão parar no youtube pelo proprio usuario, qual direito o ECAD tem???

    ResponderExcluir
  39. Nunca vou respeitar um copyright tao tirano e tão longo quanto esses de hoje (absurdos 75 e 90 anos).
    Na minha opinião copyright não deveria ser lucrativo pois são ideias.Copyright deveria somente pagar os individuos pelo trabalho.E não fazer maquina de dinheiro,ou seja,gastar 1 milhão e ganhar 100 milhões.

    ResponderExcluir
  40. Falaram sobre o Gilberto Gil ali em cima.

    Sim, quando ele foi Ministro da Cultura tentou aprovar uma nova legislação de direitos autorais para obras culturais, porém o projeto foi jogado na lata de lixo quando saiu do cargo e a ministra selecionada por Dilma assumiu.

    No geral palmas para o Google, ficaria ainda mais feliz se a empresa orientasse os usuários notificados e os ajudasse a entrarem com uma ação coletiva contra o ECAD.

    ResponderExcluir
  41. Depois de muitos anos usando as ferramentas do Google tudo que eu tenho a dizer é que a cada momento eu me sinto mais orgulhoso de continuar usando essas ferramentas! ;) Muita seriedade envolvida e muito cuidado no trato com os usuários. Isso dá orgulho. Muito obrigado, meus caros.
    Jorge

    ResponderExcluir
  42. Abrir uma "Google Brasil" é procurar sarna pra se coçar. Mas nós usuário agradecemos sua existência. Continuem assim. Pena que aparentemente foram subservientes no caso dos links que a Globo mandou retirar do Google search, como se o Google fosse culpado por sites de terceiros.

    ResponderExcluir
  43. O que seria de certos cantores, muitas vezes com musicas que jamais chegariam as radios e que hoje fazem sucesso no mundo se não fosse o YOUTUBE.
    Essa é a velha malandragem do "brasileiro" de querer levar vantagem em tudo. (brasileiro está entre aspas pra ficar claro que nós os verdadeiros brasileiros não somos assim)

    ResponderExcluir
  44. Se você acha que o artista sai perdendo por causa dos compartilhamentos, veja: O número de acessos para Michel Teló - 'Ai, se Eu te Pego', vídeo oficial no You Tube é de 223455582. O cantor está em turnê internacional, recebendo disco triplo de platina na Itália, pela marca de 120 mil cópias vendidas do do álbum Ai se eu te pego.

    ResponderExcluir
  45. Obrigado Google por ajudar a combater a corrupção no Brasil!

    ResponderExcluir
  46. Quem vai abrir a caixa preta do ECAD?


    Viva o YouTube!

    ResponderExcluir
  47. Vejam o abuso que é o que o ECAD faz com as rádios web. Cobram cerca de R$ 2.500,00 mensais de direitos autorais. E uma rádio web que só toca musica internacional também teria que pagar os mesmos direitos... Para onde vai essa grana? São uns picaretas.... Isso tem que acabar. Meu primo é compositor e disse que já foi cobrado pelo ECAD por cantar sua própria música em um show. É inacreditável. vejam a pagina de calculo dessa roubalheira... http://www.ecad.org.br/CanaldoUsuario/ViewController/publico/ResultadoSimulacao.aspx

    ResponderExcluir
  48. Os próprios compositores odeiam mais a ECAD do que os usuários. Ninguém é a favor desta instituição, exceto os corruptos... Então, porque ela ainda existe? Precisamos é de um movimento nacional para acabar com essa "roubalheira"!

    ResponderExcluir
  49. Como diria a genial Cecília: “Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda…” Será mesmo? Olha aí o ECAD confundindo alhos com bugalhos… Essa ultrapassada entidade está para a internet como a saudosa fita cassete está para o mp3.

    Vejam só que incoerência: Com a boa intenção de defender o músico, o ECAD acaba prejudicando os principais meios de divulgação e execução da própria música. Ou seja, um paradoxo e um obstáculo absurdo contra a própria arte musical.

    Sobretudo por querer regulamentar a internet. Será como enxugar gelo. Além disso, é a liberdade que está em jogo, e não a legalidade de uma lei equivocada.

    Ora, é isso que acontece quando queremos e lutamos por mais e mais regulamentações. Um tremendo erro! E onde fica a liberdade do indivíduo, no caso o músico, de defender-se sozinho sem que um escritório de burocratas governamentais surrupie impostos em seu nome? A regulamentação excessiva é um câncer. Ontem, taxaram o Facebook e o Youtube, hoje cobram o Caligraffiti, amanhã, como dito sabiamente num dos comentários, seremos taxados por tocar violão em casa.

    E tudo isso através de leis, esdrúxulas e absurdas, que afrontam a liberdade das pessoas. É o ECAD querendo surrupiar na internet, a Anvisa regulamentando o que, como e quando devo comer, beber, transar… Até cota para conteúdo nacional em TV a cabo querem nos impor goela abaixo… Para proteger o dito “conteúdo nacional” baixam na base da canetada uma lei que fere a livre escolha do espectador… Francamente!

    Cuidado minha gente, é isso que dá querer que um governo e suas leis nos defendam em tudo. Aliás, quem irá nos defender delas?

    Com bem disse Frederic Bastiat: “A lei não é o refúgio do oprimido, mas a arma do opressor.” E ainda Tácito: “As leis abundam em Estados corruptos.” Por fim, Montesquieu: “As leis inúteis debilitam as necessárias.”

    Parabéns ao Google, ao Youtube pelo bom senso e coragem de se posicionarem em relação ao ECAD. Que isso sirva de incentivo para que todos (músicos, artistas, blogueiros, internautas, etc) se unam contra as ações parasitárias e extorsivas dessa entidade.

    ResponderExcluir
  50. Parabéns pelo bom senso, Google. No Brasil as coisas parece que funcionam de acordo com a "lei do mais forte". Ninguém respeita nada, nem a própria lei.

    ResponderExcluir
  51. Este site é muito bom, um dos melhores que conheço. Aqui tudo é organizado e bem esclarecido. Também escrevo em um blog, caso queira ver coloquei o link abaixo, mas vocês realmente estão de parabéns!

    http://www.loblogue.com/

    Abraços.

    ResponderExcluir
  52. parabens ao pessoal do youtube, penso eu que voces não devem fazer acordo com uma entidade sem credibilidade como esse tal de ECAD que está sendo motivo de uma CPI no Senado Federal
    Um bando de pilantras

    ResponderExcluir
  53. Eu fico me perguntando, qual será o futuro do Youtube... Ou iremos postar apenas videos pessoais gravados em nossas cameras digitais ou então, somente empresas produtoras poderão usar o Youtube, pois ultimamente, quase tudo que se posta é negado por direitos autoriais... Sew se pega uma midia qualquer da qual se goste, insere-se um som e se envia ao Youtube, com letras garrafais informando que estamos fazendo algo homenageando, divulgando, enaltecendo, seja qual for o tema, sempre aparece alguém pra achar que estamos querendo lucrar com isso e retirar o video do Youtube... Séries, movies, trailerrs, pode-se colocar gigantescamente "MERAMENTE DIVULGAÇÃO, ILUSTRATIVO OU HOMENAGEM - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A SEUS RESPECTIVOS DONOS" que aparecem as mensagens alertando, acusando e ameaçando e, deletando os videos...

    Então, qual a função do Youtube se não somos produtores? Sim, somente sendo produtores de algo seremos donos dos direitos autoriais, qualquer coisa fora o que produzimos é de direito de outro, outro esse que fez algo tão bom, que curtimos e queremos mostrar pra todo mundo, mas quando estamos justamente através dos videos dizendo "olhem isso, os caras que criaram são muito bons, eles fizeram um trabalho excelente e recomendamos a todos" os mesmo elogiados vem pra cima dizendo que estamos infringindo os direitos autoriais...

    Enfim, talvez por ser leigo no assunto, talvez por achar que deveriam haver maneiras diferentes de analisar o que é realmente violação de direito autorial ou não, talvez por acha rque o Google e Youtube deveriam ser mais seletivos em seus vetos, se torna necessário desabafar e informar o quanto isso prejudica e deteriora, o trabalho tão legal que o Youtube se propôs a fazer, que é divulgar videos entre os internautas permitindo que cada um mostre seus gostos, suas idéias e suas satisfações com os trabalhos criados, por essas mesmas empresas e entidades que após nos maravilharem com suas obras, não nos permitem sequer comentar através de um video a frase tão reverenciada por muitos:
    - Legal, o trabalho de vocês é fenomenal e eu gostaria que todos assistissem e prestigiassem tanto quanto eu, aclamando ainda mais o trabalho de vocês...

    ResponderExcluir
  54. Para quem não conhece o ECAD e muitos não o conhecem, a sigla ECAD significa: ESCRITÓRIO CENTRAL DE ARRECADAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO de direitos autorais:
    É esse site horrível aqui:
    http://www.ecad.org.br/viewcontroller/publico/Home.aspx


    É um absurdo uma instituição agir dessa forma.
    Que morra!

    ResponderExcluir
  55. Na minha opinião, o que a ECAD e outros da láia querem mesmo é o controle:

    Voltar ao passado quando, só os músicos que eles conseguem alcançar seriam respaldados por suas "facilidades". Reprimindo assim a criação artística e a descentralização do "poder".

    Ou seja:
    Uma entidade assim não serve para proteger meus direitos como músico, só serve para angariar fundos que, como mostra o MVBill, nem são repassados.

    Colocam o dinheiro acima da expressão artística, o que ao meu ver é sujeira das grossas!

    Acorda Brasil!

    ResponderExcluir
  56. http://www.youtube.com/watch?v=DsrgHsK4yKg&feature=endscreen meu remix da banda ONE DIRECTION COMPARTILHA AI VLW

    ResponderExcluir
  57. fala ae aqui e o kabaça,e este aqui e meu canal,espero que gostem dele,se gostarem já sabem,não esquece de clicar em gostei e adicionar as favoritos e de se inscreverem no meu canal,que isto vai me ajudar bastante....muito obrigado jovem!!!



    canal:::::https://www.youtube.com/channel/UC_JY5EiWuZbbqDUbh8Gz0WA

    ResponderExcluir
  58. boa! precisamos de mais incentivo e ferramentas para expressar nossas atitudes e pensamentos ,e não de tarjas democráticas inexoráveis de interesses próprios

    ResponderExcluir
  59. Eu gostaria de uma explicação sobre o problema levantado neste vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=6fDRofiYbCs O vídeo é de setembro de 2013, e nele eu apenas apresento o problema. Hoje eu vou fazer outro, propondo uma ação coletiva de pedido de liminar para que o Youtube seja impedido de bloquear a monetização, dar os strikes, e até eliminar canais em função do uso de músicas ou trechos de músicas. Só para constar, esse vídeo aí até hoje está sendo avaliado para monetização, ou seja, 4 meses! E olha que não tem material nenhum de terceiros nele. Será censura?

    ResponderExcluir