segunda-feira, 26 de março de 2012


Você já quis saber o que um diretor de engenharia do Google, um professor de neurociência e um produtor de cinema têm em comum? Eles se reúnem amanhã, em São Paulo, e vão discutir novas soluções para grandes problemas do mundo. No Think Infinite 2012 a proposta é agregar pontos de vista diferentes para, por meio do pensamento inovador, refletir sobre questões da sociedade atual.

Acompanhe ao vivo no YouTube nesta terça-feira, a partir das 9h30, e mande seus comentários com a hashtag #thinkinfinite.

The City Of Samba - o Carnaval do Rio em ângulo nunca visto.


Os video-makers Keith Loutit e Jarbas Agnelli (ambos finalistas do YouTube play at Guggenheim no ano passado), filmaram o carnaval do Rio de Janeiro usando o efeito tilt-shift. O resultado foi o curta The City Of Samba. Um vídeo que mistura o olhar de um australiano com o de um brasileiro sobre o Carnaval do Rio.




Os diretores acreditam que, tanto o Rio como o Carnaval, são muito populares no mundo e a sua fama gera uma saturação de imagens, que acabam criando uma visao padronizada, difícil de quebrar, consequentemente banalizando a beleza do espetáculo. Sendo assim, eles queriam chamar a atenção para todo o encanto do carnaval, de um ângulo nunca visto.

E é aí que entra o Tilt+Shift. Keith, que desenvolveu pela primeira vez essa técnica, explica que ela é um meio de expressar admiração ao nosso ambiente. Pode ajudar as pessoas que estão familiarizadas com um lugar a enxerga-lo como se fosse pela primeira vez.

Essa técnica funciona melhor em ambientes conhecidos e familiares da vida cotidiana e dá uma oportunidade para re-apresentar assuntos que as pessoas conhecem bem. Assim, a grandeza das paisagens do Rio de Janeiro e o evento Carnaval são temas perfeitos para o estilo.

O vídeo foi realizado em duas visitas, e eles tiraram aproximadamente 170.000 fotografias. Segundo Keith, o maior desafio foi editar de forma concisa e que representasse de forma significativa a vida cotidiana da cidade e a grandeza do evento. Além da edição, Jarbas também é autor da bela música que ouvimos de fundo no vídeo.

Montanhas, cidade e mar. Do olho de um cineasta, o Rio é uma incrível combinação de beleza,  substância e diversidade de pessoas. Keith diz que adoraria ter sido capaz de transmitir a mais bela mistura cultural da cidade. Mas Jarbas completa: "Gostaria de ter filmado as favelas. As barracas coloridas, com deslumbrantes vistas. Esperamos fazer outro trabalho colaborativo no Rio um dia em breve."


sexta-feira, 9 de março de 2012

Sobre execução de música em vídeos do YouTube


Os videos online desenvolveram um novo universo de oportunidades para criadores de conteúdo. Eles possibilitam que artistas, músicos, cineastas, ativistas de direitos humanos, líderes mundiais e pessoas comuns levem seu trabalho para uma audiência global. No YouTube, nos esforçamos para apoiar esse ambiente, onde qualquer um pode se engajar, criar e dividir conteúdo. É por isso que vemos com surpresa e apreensão o recente movimento do ECAD na cobrança direta a usuários da ferramenta de inserção ("embed") do Youtube. Gostaríamos de esclarecer qualquer incerteza sobre algumas questões que aconteceram em alguns sites e blogs que inserem vínculos (embedam) a vídeos do YouTube, promovendo visualizações e ajudando a dividir seus pensamentos e opiniões por meio de vídeos:

1- Google e ECAD têm um acordo assinado, mas ele não permite nem endossa o ECAD a cobrar de terceiros por vídeos inseridos do YouTube. Em nossas negociações com o ECAD, tomamos um enorme cuidado para assegurar que nossos usuários poderiam inserir vídeos em seus sites sem interferência ou intimidação por parte do ECAD. Embora reconheçamos que o ECAD possui um papel importante na eventual cobrança de direitos de entidades comerciais, nosso acordo não permite que o ECAD busque coletar pagamentos de usuários do YouTube.

2- O ECAD não pode cobrar por vídeos do YouTube inseridos em sites de terceiros. Na prática, esses sites não hospedam nem transmitem qualquer conteúdo quando associam um vídeo do YouTube em seu site e, por isso, o ato de inserir vídeos oriundos do YouTube não pode ser tratado como “retransmissão”. Como esses sites não estão executando nenhuma música, o ECAD não pode, dentro da lei, coletar qualquer pagamento sobre eles.

3- O ECAD pode legitimamente coletar pagamentos de entidades que promovem execuções musicais públicas na Internet. Porém, o entendimento do ECAD sobre o conceito de “execução pública na Internet” levanta sérias preocupações. Tratar qualquer disponibilidade ou referência a conteúdos online como uma execução pública é uma interpretação equivocada da Lei Brasileira de Direitos Autorais. Mais alarmante é que essa interpretação pode inibir a criatividade e limitar a inovação, além de ameaçar o valioso princípio da liberdade de expressão na internet.

Nós esperamos que o ECAD pare com essa conduta e retire suas reclamações contra os usuários que inserem vídeos do YouTube em seus sites ou blogs. Desse modo, poderemos continuar a alimentar o ecossistema com essas centenas de produtores de conteúdo online. No YouTube, nós nos comprometemos a levá-los cada vez mais próximos a seu público graças à inovação tecnológica e a características sociais como compartilhamento, discussão e até inserção em outros sites, caso o próprio vídeo permita.

Continuaremos a oferecer a cada autor de conteúdo a opção de decidir se eles querem que seus vídeos tenham a opção de serem inseridos (embedados) ou também disponíveis para dispositivos portáteis ou telas maiores, usando o botão “editar informações” em cada um de seus vídeos. Essas opções também podem ser acessadas pelo http://www.youtube.com/my_videos.

Postado por: Marcel Leonardi, diretor de políticas públicas e relações Governamentais do Google Brasil

quinta-feira, 8 de março de 2012

E os prêmios do YouTube NextUp vão para...



--ATUALIZAÇÃO--
Depois de uma revisão dos vídeos ganhadores do concurso YouTube NextUp, seguindo o anúncio divulgado ontem, desqualificamos 4 vídeos dos ganhadores do concurso por engano. Como forma de corrigir esse erro, decidimos manter a lista original de ganhadores.

Também estamos estendendo o prêmio para os vídeos alternativos que tinham sido selecionados caso os ganhadores originais não estivessem disponíveis para aceitar os prêmios. Pedimos desculpas por qualquer confusão que isso possa ter causado e parabenizamos os vencedores do YouTube NextUp.

Confira os vídeos vencedores em www.youtube.com/nextupbrasil.


----



Lançamos, em dezembro passado, o YouTube NextUp, um programa para desenvolver os canais de parceiros de conteúdo do YouTube com menos de 100 mil inscritos. O prêmio, R$ 20.000,00 em cartão de débito, ajudará os ganhadores com a compra de equipamentos para produção de vídeos ainda mais incríveis. A outra parte do prêmio é um curso de 4 dias em São Paulo, o Creator Camp: uma imersão no mundo do conteúdo digital e do YouTube.

Recebemos milhares de vídeos, de diversas partes do país, sobre os mais diversos conteúdos. Sessenta e seis vídeos foram escolhidos para a segunda fase e receberam votos dos usuários do YouTube. Os 40 vídeos mais votados foram julgados por um júri do YouTube e, finalmente, estamos divulgando hoje os dez sortudos vencedores do primeiro YouTube NextUp Brasil! Vejam os vídeos dos vencedores em www.youtube.com/nextupbrasil.



Acreditamos que os futuros atores, produtores, artistas e músicos do futuro estão praticando seus talentos no YouTube hoje. Nossos parceiros são o coração da nossa plataforma, e gostaríamos de ver um número ainda maior deles tomando o próximo passo para atingir uma carreira de sucesso no YouTube e tornar seus vídeos amadores em um negócio lucrativo, criativo e prazeiroso.

Sucesso aos dez ganhadores!

Bibiana Leite, Gerente de Parcerias Onilne, America Latina, recentemente assistiu “Ar condicionado caseiro (cooler + PET + pilha)”